Novo protocolo de Covid é tema de discussão em GT de Saúde com o Banco Itaú

Movimento sindical pede a intensificação dos cuidados na prevenção da doença

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú se reuniu com o banco, nesta quarta-feira (16), para discutir o novo protocolo da Covid 19, que está em teste nos estados de Pernambuco e da Bahia e na cidade de São Paulo. A reunião faz parte do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do Itaú e visou esclarecer alguns pontos do protocolo que estavam sendo questionados pelos bancários.

Entre os apontamentos do movimento sindical estão a postura de alguns gestores que se negam a fechar agências em casos de suspeita de contaminação; a distância estabelecida entre os trabalhadores prevista no protocolo, de 1,5 m de distância entre os funcionários em exposição superior a 15 min; o afastamento dos contratantes e a proximidade dos caixas com os Gerentes operacionais (Gos) e supervisores (casos que em muitas situações não estão sendo afastados).

A proposta de parcelamento da dívida de afastamento por doença, também foi questionada durante o GT de Saúde e será analisada na próxima reunião.

Medidas de isolamento

Durante a reunião, o banco reforçou que, em caso de suspeita de Covid-19, a agência deverá ser fechada e sanitizada. Haverá ainda, apuração dos trabalhadores que tiveram contato com o infectado, podendo ambos, serem afastados por até 14 dias abonados e neste caso, a agência seguirá em funcionamento com os profissionais não contatantes.

Já para os caixas, o novo protocolo prevê sejam afastados devido à proximidade de atividade, assim como também, aqueles que tiveram contato próximo (de até 1,5 m de distância por mais de 15 min), independente da função, incluindo gerente operacional e supervisor. Serão ainda, afastados, profissionais que mantiveram contato externo à agência, horário de almoço, carona, etc.

Testagem

Com relação à testagem, o Banco explicou que serão feitas de acordo com a orientação da teleconsulta.

Monitoramento

O banco reforçou o monitoramento aos trabalhadores com relação ao uso dos equipamentos individuais de proteção, sendo que a falta de uso acarretará em advertência, e no caso de reincidência, punição.

Conscientização

O GT enfatizou a importância e necessidade de campanhas de conscientização do uso obrigatório dos EPIs e também da informação e cobrança dos gestores sobre a aplicação correta do protocolo.

Com relação à conscientização, o banco informou a realização de lives e campanhas educativas sobre o uso de máscaras e de divulgação do canal de comunicação interno.
De acordo com o representante da Feeb SP/MS, Walmir Santos, a preocupação é com o aumento do número dos infectados no ambiente bancário. “Estamos preocupados com esse aumento no número dos infectados nas agências bancárias. O novo protocolo é muito importante, mas precisa haver esclarecimento e fortalecimento das campanhas aos funcionários”, ressalta.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on print
Imprimir