Bancários realizam manifestação contra reestruturação do BB

Protestos acontecem nesta sexta-feira (15). Organização orienta utilização de roupa preta e manifesto nas redes sociais

Nesta sexta-feira (15) funcionários do Banco do Brasil realizam uma manifestação nacional contra o plano de reestruturação, que prevê o fechamento de agências e outras unidades, um Plano de Demissões Voluntários (PDV) que tem por meta dispensar 5 mil trabalhadores do banco, além de outras medidas que prejudicam os trabalhadores do banco.

As manifestações foram organizadas pela Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), por federações e sindicatos de todo o país.

“Temos acompanhado as recentes medidas anunciadas que visam a reestruturação e podem atingir diretamente milhares de trabalhadores e a sociedade, além de clientes e usuários. O objetivo é criarmos um calendário de lutas. Esse primeiro manifesto visa demonstrar a indignação quanto às decisões e a união do movimento sindical frente à luta pelos direitos dos trabalhadores e do BB como empresa pública”, pontua Jeferson Boava, presidente da Federação dos Bancários dos Estados de SP e MS.

Dia Nacional de Luta

O Dia Nacional de Luta prevê a mobilização nas unidades, com foco nas agências, que consiste em retardar as atividades por uma hora, onde for possível, e a realização de reuniões com os funcionários e diálogo com a população, clientes e usuários. De acordo com o movimento sindical, o objetivo é debater os impactos da reestruturação proposta e a organização de futuras ações.

Os organizadores orientam o uso de roupas pretas em protesto às medidas da direção do banco.

Tuitaço 

Nas redes sociais, às 11h, está previsto um “tuitaço” com o uso da hashtag #MeuBBValeMais. O objetivo é amplificar as mobilizações e envolver a sociedade em defesa do BB e de seus funcionários.

Para a divulgação nacional dos atos realizados, a Feeb SP/MS solicita o encaminhamento de imagens e releases das entidades, para o endereço eletrônico secretariageral@feeb-spms.org.br. “É muito importante o envolvimento de todos nas mobilizações, bem como o envio do material e divulgação na imprensa local, redes sociais e páginas dos próprios sindicatos e de bancários e bancárias, a fim de ampliarmos a nossa indignação relativa ao ato da diretoria do banco”, reforça Boava.

Outras programações
Até o dia 18 de janeiro devem acontecer plenárias organizativas com os funcionários do banco para avaliação do quadro e debater a organização e resistência às medidas da direção do BB.
Cabe destacar que as mobilizações propostas devem considerar os protocolos de prevenção ao contágio da COVID-19 e, na medida do possível, realizar atos presenciais.

Crescimento
Entre 2016 e 2019 o Banco do Banco do Brasil registrou crescimento, em termos nominais, de 122% no lucro líquido. No mesmo período, a receita de tarifas aumentou 22%, também em termos nominais. Enquanto isso, a direção do banco reduziu o quadro de funcionários cada vez mais. De 2016 até o terceiro trimestre de 2020, o número de funcionários caiu de 109.864 para 92.106, uma redução relativa de 16%. No mesmo período, o número de agências foi reduzido de 5.428 para 4.370, uma redução de 19%.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on print
Imprimir